Glória Maria faz cirurgia na cabeça por lesão expansiva cerebral: entenda o que é isso

por | nov 12, 2019 | Saúde

A jornalista Glória Maria foi submetida a uma cirurgia na cabeça, na última segunda-feira (11), após o diagnóstico de uma lesão expansiva cerebral. As informações são do boletim médico do Hospital Copa Star (RJ), onde a apresentadora está internada.

Glória Maria: cirurgia no cérebro

Glória sentiu-se mal na última quinta-feira (7). Ao procurar a unidade de saúde, um exame de ressonância magnética mostrou a presença de uma lesão expansiva cerebral.

Assim, Glória foi operada na segunda-feira (11) e a lesão foi completamente removida. A jornalista passa bem e deve ter alta até o final da semana.

Lesão expansiva cerebral: o que é

Um processo expansivo no corpo é qualquer lesão que cresce mais do que o normal.

De acordo com neurocirurgião Mariano Ebram Fiore, que não integra a equipe responsável pelo tratamento de Glória, uma lesão expansiva cerebral pode ser de ordem infecciosa ou até mesmo tumoral. “Todo processo expansivo é algo que cresce quando não deveria. Mas todo processo expansivo não é, necessariamente, um tumor. Nós consideramos um tumor a proliferação de células erráticas”, diz Fiore.

Em casos de lesões com características tumorais, vale ainda lembrar que elas não são sinônimos de câncer. Isso porque existe a possibilidade de o tumor ser tanto maligno quanto benigno.

Um tumor maligno é caracterizado por seu crescimento acelerado e, em alguns casos, pode migrar para outros órgãos. Isso acontece quando o câncer se espalha via corrente sanguínea, formando novos tumores. Por outro lado, o tumor benigno não corre o risco de se transformar em câncer por não ter a capacidade de crescer rapidamente ou de se espalhar pelo organismo – processo conhecido como metástase. Mesmo assim, o tumor benigno merece atenção pois pode causar dor ou comprimir órgãos.

Causas

iStock

Fiore explica que alguns fatores explicam o surgimento de lesões expansivas no cérebro. Dentre as causas, o médico cita a genética do paciente ou mesmo a exposição a radiação.

Fatores comportamentais como alimentação, tabagismo, estresse, entre outros, não interferem no aparecimento das lesões.

Ainda de acordo com o médico, a incidência em homens é bem maior do que em mulheres. O neurologista também aponta a maior ocorrência de lesões em pessoas na faixa etária dos 40 e 50 anos.

Sintomas da lesão expansiva cerebral

Para ajudar na identificação de lesões expansivas no cérebro, Fiore indica que alguns sintomas são bastante típicos do quadro.

  • dor de cabeça forte (diferente do aneurisma e que melhora com remédio)
  • náusea
  • vômito
  • perda de movimento do lado contrário à lesão
  • perda de sensibilidade
  • desvio de olhar
  • linguagem alterada

Tratamento

O tratamento para a lesão expansiva cerebral depende do quadro apresentado pelo paciente.

Em casos de lesões de caráter benigno, por exemplo, Fiore explica que apenas a cirurgia de remoção da lesão é suficiente para tratar o quadro.

Radioterapia e quimioterapia são utilizadas quando a lesão atinge regiões do cérebro que afetam as chamadas áreas eloquentes do cérebro, que mexem com fala, movimento e sensibilidade.

Em casos de lesões malignas, a cirurgia também é usada, assim como radio e quimioterapia.

O neurocirurgião explica que a morte pela lesão em si depende muito de sua localização no cérebro. Porém, o perigo existe principalmente pelos fatores de risco que a cirurgia traz, uma vez que o procedimento não deixa de ser um trauma ao corpo.

Tem uma dúvida de saúde? Envie para vixresponde@vix.com e ela poderá ser respondida por um especialista em nossa nova coluna: VIX Responde.

Doenças neurológicas