Débora Nascimento fala de tortura mental que a fez ter anorexia quando era modelo

por | jun 19, 2017 | Saúde

A anorexia é uma doença muito grave, um distúrbio alimentar em que há a negação da comida por conta da distorção da própria visão da imagem corporal. E foi sobre esse assunto que a atriz Débora Nascimento abriu o coração durante o programa “Vai, Fernandinha”, do Multishow, apresentado por Fernanda Souza.

“Disseram que eu precisava emagrecer, pois meu quadril media 91 centímetros, e que assim não estava rolando”, disse Débora, que foi modelo antes de se tornar atriz.

Em sua fala sincera e emocionante, ela relata um acontecimento que pode ter sido o gatilho para hábitos autodestrutivos, como não comer para emagrecer. “Participei de um jantar, me enchi de água e comi tudo devagarzinho, pois estava morrendo de fome. Quando chegou a sobremesa eu queria apenas uma colher. Mas o moço da agência tirou a colher da minha mão e o prato da minha frente. E fez isso na frente de todo mundo, eram 30 meninas, lindas magras e promissoras”, comentou a atriz. 

“Hoje eu vejo o quanto ele foi ‘escroto’. Por isso que eu comecei a desmaiar, a ficar sem comer. E minha mãe me salvou quando viu que eu estava definhando, ela me salvou da anorexia”. 

O que é a anorexia?

A pessoa acredita que está sempre acima do peso. Por isso, opta por dietas restritivas e métodos radicais, medicamentos, indução do vômito e outros meios inadequados para perder peso.

Ansiedade, insônia, idas frequentes ao banheiro para induzir o vômito, uso de laxantes, compulsão por atividades físicas, além da magreza excessiva e progressiva são alguns dos sintomas clássicos.

Tratamento da anorexia

É essencial um acompanhamento com uma equipe multiprofissional. Entre os especialistas podem estar endocrinologista, nutricionista, psiquiatra e psicólogo, já que é preciso afastar o perigo de morte de várias maneiras para que aconteça o ganho de peso.

Em casos extremos e de grande risco, a alimentação precisa ser feita através de sondas que entram pelo nariz e desembocam no estômago – ou parenteral, quando soluções de nutrientes são administradas diretamente nos vasos sanguíneos, comenta a endocrinologista Luciana Lopes, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

O peso tão baixo provoca uma série de problemas no organismo, grandes deficiências de proteínas, vitaminas, gordura e outras substâncias fundamentais para a vida. 

Como a sociedade contribuiu para o distúrbio alimentar 

Shutterstock

Em sua entrevista para Fernanda Souza, Débora Nascimento também comentou que teve uma amiga que morreu por conta da anorexia. 

“Na época eu modelava e quando a encontrei, tudo o que queria saber era o que ela tinha feito para emagrecer. Ela me contou que quanto mais magra, mais rica e conhecida ela ficava, mais foco ela tinha. Vira um ciclo vicioso. Depois disso ela faleceu”, comentou Débora sobre como a sociedade vangloria quem perde peso, independente dos métodos ou da saudabilidade da pessoa. 

E exatamente por isso ela acredita que sua fala é importante: “Se tiver uma adolescente que fale ‘poxa, é isso aí, ufa, posso ter o cabelo cacheado, o frizz, o quadril, a bochecha a celulite’. Se tiver uma que eu possa ser essa referência, valeu”.

Distúrbios alimentares