null: nullpx
saúde-Tasaudavel

Após piora por infecção grave, filha de Juliano Cazarré está estável: "Começou a acordar"

Maria Guilhermina está passando por um momento delicado na recuperação de sua última cirurgia
Publicado 30 Nov 2022 – 09:08 AM EST | Atualizado 30 Nov 2022 – 09:08 AM EST
Compartilhar
Default image alt
Maria Guilhermina, caçula de Cazarré, teve uma piora no quadro recentemente Crédito: @cazarre/@leticiacazarre/Instagram

Dois meses após passar por uma cirurgia que pode reparar definitivamente seu coração, Maria Guilhermina, filha de Juliano Cazarré, teve uma piora no quadro.

Conforme informado pela mãe da pequena, Leticia Cazarré, Maria Guilhermina teria contraído uma infecção - e, agora, em meio à estabilidade do quadro, Leticia pediu orações.

Filha de Cazarré tem piora no quadro


Usando seu perfil no Instagram, Leticia Cazarre, esposa do ator Juliano Cazarre, pediu recentemente orações para a filha caçula, Maria Guilhermina, após a pequena apresentar instabilidade no quadro de saúde.


A bebê, que já passou por diversas cirurgias e está internada desde que nasceu devido a uma cardiopatia rara chamada Anomalia de Ebstein, teve uma piora, algo que fez a mãe pedir orações ao público.

“Quem puder, reze pela Maria Guilhermina. Ela piorou bastante, provavelmente está com uma infecção grave. Estamos fazendo tudo para que ela se recupere logo. Contamos com as orações de todos vocês, meus amigos”, disse ela em um Story na rede social.

Na imagem do post, a bebê aparece de olhos fechados e ainda traqueostomizada pouco mais de um mês após realizar o procedimento que auxilia na respiração.


Em seguida, no entanto, Leticia deu boas notícias. “Ela está estável e já começou a acordar. Os exames vieram bons, vamos continuar pedindo! [...] Está melhorando!”, disse a mãe de Maria Guilhermina, mostrando a filha de olhinhos abertos.

Relembre o quadro de saúde da filha de Cazarré


Em junho de 2022, Maria Guilhermina, quinta filha de Juliano Cazarré e Leticia, nasceu e, logo, foi para a mesa de cirurgia. Isso porque, conforme contou o casal, a pequena teve uma cardiopatia congênita rara diagnosticada no pré-natal - e, por isso, precisou ser operada.

Maria Guilhermina tem uma doença chamada Anomalia de Ebstein, que, conforme explicou a cardiologista pediátrica Juliana Rodrigues Neves a Tá Saudável, significa que uma das válvulas do coração da bebê está em uma posição diferente do esperado.


Em pacientes com esta cardiopatia, o posicionamento errado da válvula dificulta o retorno do sangue “usado” aos pulmões, gerando má oxigenação. No caso de Maria Guilhermina, que tem o problema em sua versão neonatal, o quadro é ainda mais raro e grave porque, nesta apresentação, a válvula costuma estar “baixa” a ponto de impedir a oxigenação.

Desde o nascimento, a bebê já passou por diversas cirurgias que visaram manter o coração estável até que fosse possível realizar a operação de reparo definitivo do órgão. Em setembro, a cirurgia foi finalmente realizada e, segundo Leticia, foi um sucesso.

Durante a recuperação, porém, Maria Guilhermina teve de passar por uma traqueostomia, procedimento no qual uma cânula é inserida na traqueia através de uma incisão no pescoço para auxiliar na respiração de forma mais segura que a intubação.

Desde então, poucas notícias sobre o estado de saúde da pequena foram compartilhados até recentemente, com a piora devido à infecção.

Filha de Juliano Cazarré: entenda o quadro

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse