null: nullpx
doenças respiratórias-Tasaudavel

Entenda a fibrose pulmonar, doença que causou a morte de Rita de Cássia aos 50 anos de idade

Doença crônica é progressiva e há indicações de que haja ligação entre ela e o tabagismo
Publicado 4 Jan 2023 – 02:57 PM EST | Atualizado 4 Jan 2023 – 02:57 PM EST
Compartilhar
Default image alt
Rita de Cássia tinha 50 anos e é considerada um dos maiores nomes do forró Crédito: @euritadecassia/Instagram

Na tarde da última terça-feira (3), a cantora e compositora de forró Rita de Cássia morreu em decorrência de fibrose pulmonar. Ela estava internada por complicações da doença desde 1º de janeiro em um hospital do Ceará, de acordo com informações divulgadas pelo "G1". A morte foi confirmada por Fernando Ivo, seu empresário, nas redes sociais.

Em uma das últimas aparições da artista na web, ela surgiu com a voz rouca e fraca no hospital, em decorrência da doença, para desejar um bom ano novo aos fãs.

Morre Rita de Cássia aos 50 anos por fibrose pulmonar


Rita de Cássia, cantora e compositora responsável por canções de artistas como Aviões do Forró, Mastruz com Leite, entre outros, morreu aos 50 anos na última terça-feira (3). Amorte da cantora ocorreu após dias de internação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital particular em Fortaleza (CE), segundo o empresário Fernando Ivo, para cuidar de uma fibrose pulmonar.


Em seu Instagram, Fernando confirmou a morte e publicou um dos últimos registros feitos por Rita de Cássia: "Feliz ano novo, meus amores", disse ela em vídeo, com a voz enfraquecida, no hospital. Ele também repostou diversas homenagens de outros artistas à Rita de Cássia, que deixou dois filhos adolescentes: Ricardo e Pedro.

Fibrose pulmonar: o que é?


Doença crônica e não infecciosa, a fibrose pulmonar gera, segundo informações da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) a substituição do tecido normal do pulmão por tecido cicatricial - ou seja, fibrose. De causa desconhecida, ela é mais comum em pessoas com mais de 60 anos, especialmente do sexo masculino, e aparece com bastante frequência em ex-fumantes.

Podendo evoluir lentamente ao longo dos anos ou de forma mais rápida, em questão de meses, a doença é fatal e tende a levar a óbito em um período de dois a quatro anos após o diagnóstico, em média, tudo devido à perda da capacidade de realizar trocas gasosas pelo pulmão.

Diagnóstico


O diagnóstico, ainda de acordo com a SBPT, é feito através de exame clínico, alterações na função pulmonar, histórico do paciente e sintomatologia - e tudo deve ser confirmado com uma tomografia computadorizada de tórax. Quando o diagnóstico não é confirmado desta forma, o médico pode pedir uma biópsia pulmonar.

Sintomas de fibrose pulmonar


Em linhas gerais, a fibrose pulmonar causa:


  • Falta de ar com piora progressiva;
  • Tosse seca por mais de seis meses;
  • Coloração azulada nas pontas dos dedos por falta de oxigenação.

Tratamento


Até o momento, não há cura para fibrose pulmonar, e o tratamento é, em geral, voltado a aliviar os sintomas. Há, segundo a SBPT, dois medicamentos que demonstraram capacidade de desacelerar a progressão da doença, mas seu uso ainda é bastante restrito por não haver, ainda, tanto impacto documentado na expectativa de vida do paciente.

Além disso, casos bastante restritos podem se beneficiar de transplante pulmonar - algo feito em um grupo muito seleto de pacientes.

Prevenção


Apesar de não haver medidas realmente eficazes de prevenir a doença, a SBPT afirma que o fumo está bastante associado a seu surgimento - e, portanto, evitar o tabagismo pode contribuir para o não surgimento dela.

Compartilhar