null: nullpx
academia-Tasaudavel

Musculação x localizada > Malhando em grupo

Publicado 30 Jun 2016 – 08:23 PM EDT | Atualizado 20 Mar 2018 – 12:57 PM EDT
Compartilhar

Se você morre de preguiça de ir à academia, acha a esteira um saco, e está prestes a desistir dessa vida de malhação, as aulas de localizada podem resolver o problema. O professor Alessandro Sampaio, da Rio Sport Center, explica o motivo. "A ginástica localizada é uma aula coletiva. Ganha pela motivação. Tem música alta, outras alunas incentivando, um professor motivando e até gritando", cita o professor. Para as preguiçosas, um prato cheio de entusiasmo.

Como se trabalha com uma pequena carga, as aulas tendem a resultar em um trabalho de resistência muscular localizada


Além de animada, ela pode fazer muito pelo seu corpo. "Quando a ginástica localizada chegou ao Brasil, era chamada de aeróbica. Mas a definição é errada, ela é totalmente anaeróbica. O exercício não provoca nenhum ganho cardio-pulmonar", esclarece Alessandro Sampaio. Eduardo Netto explica: "Como se trabalha com uma pequena carga, as aulas tendem a resultar em um trabalho de resistência muscular localizada".

Disputada pelas mulheres, que chegam a se espremer nas salas, a aula de localizada trabalha o sonho de consumo de todas nós - um bumbum durinho e uma barriga sequinha. "Fazemos um trabalho intenso dos glúteos e abdominais. É por isso que as mulheres gostam tanto", acredita Eduardo Netto.

Assim como a musculação, a localizada também tem suas limitações e contra-indicações. Apesar de toda a empolgação da turma, prepare-se para encarar diariamente o colchonete. "Você pode colocar uma caneleira, apelar para um step, mas fica só nisso", diz o professor Alessandro. Eduardo Netto, da A! Body Tech, alerta para outro fator: "A aula em grupo, apesar de motivadora, dificulta a prescrição individualizada. Por isso é fundamental passar por uma criteriosa avaliação física. Lesões nos joelhos, ombros e colunas são as mais preocupantes", adverte.

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse