null: nullpx
alzheimer-Tasaudavel

Ter tarefas de casa como hábito reduz chances de desenvolver Alzheimer, diz estudo

Cozinhar, lavar a louça e fazer faxina, por exemplo, são hábitos que podem diminuir em 21% os riscos de demência
Publicado 2 Ago 2022 – 11:45 AM EDT | Atualizado 2 Ago 2022 – 11:45 AM EDT
Compartilhar
Default image alt
Fazer tarefas domésticas está ligado a um menor risco de ter Alzheimer Crédito: DGLimages/Getty Images/iStockphoto

Cozinhar, lavar a louça e limpar a casa não são tarefas necessariamente agradáveis, mas, segundo um estudo recente, tê-las como hábito pode ser muito útil para a mente. De acordo com o levantamento, publicado no periódico científico Neurology, fazer estas atividades com frequência pode proteger contra o Alzheimer, reduzindo os riscos de desenvolver a doença em 21%.

Tarefas domésticas protegem contra Alzheimer


Para o estudo em questão - que envolveu dados de 501.376 pessoas sem demência e com uma idade média de 56 anos - os participantes preencheram questionários que abordavam, entre outras questões, as atividades físicas. Nele, além de responderem sobre atividades como subir escadas, caminhar e praticar esportes, participantes também foram questionados sobre a execução de tarefas domésticas.


Além disso, perguntas sobre nível de escolaridade, vida social e conhecimento sobre algum familiar imediato com Alzheimer, por exemplo, também ajudaram a compor a pesquisa, adicionando mais variáveis e determinando quais participantes tinham algum risco genético de desenvolver a doença.

Ao fim do período de estudo, que analisou os participantes por cerca de 11 anos, 5.185 deles desenvolveram demência - e, a partir disso, pesquisadores puderam tirar uma série de conclusões. Foi constatado, por exemplo, que quem se envolvia muito com atividades padrão, incluindo exercícios frequentes, tarefas domésticas e visitas diárias a familiares e amigos, tiveram, respectivamente, 35%, 21% e 15% menos chance de desenvolver a doença em comparação com pessoas menos envolvidas nisso.

Em um comunicado publicado no veículo " EurekAlert!", Huan Song, principal autor do estudo, se mostrou animado com a descoberta. "Mais pesquisas são necessárias para confirmar nossas descobertas, mas os resultados apontam que fazer essas mudanças simples no estilo de vida pode ser benéfico", comentou.

Ciência e saúde

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse