null: nullpx
câncer-Tasaudavel

Morre Pelé, o Rei do Futebol, aos 82 anos após complicações de câncer no intestino

Pouco mais de um ano após ser diagnosticado com um câncer colorretal, Pelé morreu em São Paulo nesta quinta-feira (29)
Publicado 29 Dez 2022 – 02:04 PM EST | Atualizado 4 Jan 2023 – 05:05 PM EST
Compartilhar
Default image alt
Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, morreu em São Paulo aos 82 anos Crédito: Stuart C. Wilson/Correspondente/Getty Images

Morreu nesta quinta-feira (29), aos 82 anos de idade, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Ídolo mundial do futebol, o ex-jogador tratava desde 2021 um câncer de intestino diagnosticado em exames de rotina - e, faleceu após ser internado tanto para manejar uma infecção respiratória decorrente da fragilidade de sua saúde após ter Covid-19 quanto para reavaliar o tratamento quimioterápico.

Morre Pelé, o Rei do Futebol, aos 82 anos


Pouco mais de um ano após ser diagnosticado com um câncer colorretal, o ex-jogador Pelé, reconhecido mundialmente como Rei do Futebol, morreu em São Paulo nesta quinta-feira, segundo informações veiculadas pela Rede Globo. Desde a descoberta de uma lesão suspeita no cólon em setembro de 2021, o ídolo vinha tratando o câncer com quimioterapia e demonstrando avanços pontuais.


O ex-jogador, que estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde 29 de novembro, passou por diversas hospitalizações nos últimos anos e vinha apresentando problemas de saúde mais intensos desde 2014, quando passou quase um mês internado devido a uma infecção urinária - quadro que se repetiu em 2019.

Além disso, em 2015, ele foi submetido a um procedimento de ressecção transuretral da próstata devido a suspeita de câncer no órgão, mas, segundo os boletins médicos divulgados pelo hospital na época, a hiperplasia detectada era, na realidade, benigna.


Ao final de 2021, meses após a descoberta do câncer de cólon, Pelé chegou a usar as redes sociais para atualizar os fãs sobre seu estado de saúde - e, na ocasião, afirmou estar se sentindo bem em meio ao tratamento.

Recentemente, no entanto, Pelé foi internado novamente no Hospital Albert Einstein para, segundo boletins médicos, tratar uma infecção pulmonar. Segundo informações dadas pelas filhas do ex-jogador ao "Fantástico" (Rede Globo) na ocasião, o problema teria ocorrido após Pelé contrair Covid-19, devido à baixa imunidade em razão das quimioterapias.

Ao longo da internação, Pelé respondeu bem aos tratamentos para a infecção respiratória e passou por uma reavaliação das terapias contra o câncer, mas, em 21 de dezembro, outro boletim médico emitido pelo hospital afirmou que o Rei do Futebol teve progressão da doença oncológica. Além disso, ele também passou a precisar de maior suporte para disfunções renais e cardíacas. Pelé morreu nesta quinta-feira, 29, por falência de múltiplos órgãos.

Pelé: relembre a trajetória do ídolo


Ao longo da vida, Pelé construiu um legado expressivo no mundo do futebol. Considerado mundialmente como um dos maiores atletas de todos os tempos, ele começou a jogar ainda na infância e, após atuar em clubes pequenos até sua estreia no Santos Futebol Clube em 1956, aos 16 anos de idade.


Desde então, Pelé se destacou de diversas formas no esporte, recebendo uma série de prêmios. Eventualmente, ele se tornou o segundo maior goleador da história do futebol em jogos oficiais, marcando 765 gols em 812 partidas (e 1.283 em 1.363 partidas incluindo jogos amistosos).

Além da carreira brilhante no futebol, Pelé se destacou também em outras frentes. Após aposentar-se dos gramados, o ex-jogador foi nomeado em 1992 como embaixador da Organização das Nações Unidas em ecologia e meio ambiente, e, em 1994, como Embaixador da Boa Vontade pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).


De 1995 a 2001, Pelé chegou ainda a atuar como Ministro do Esporte durante os mandatos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse