null: nullpx
abraço-Tasaudavel

Simplesmente abraçar a pessoa amada pode fazer um bem danado à relação, diz a ciência

O aconchego com quem se ama faz muito bem à saúde!
Publicado 3 Mai 2022 – 02:25 PM EDT | Atualizado 3 Mai 2022 – 02:25 PM EDT
Compartilhar
Default image alt
Longos abraços fazem bem à saúde. Crédito: nortonrsx / iStock

O aconchego de um abraço longo, tipicamente compartilhado com um parceiro amoroso, pode ser de grande benefício a saúde. Estudos recentes sobre relacionamentos amorosos avaliam como o aconchego com o amado e mais comportamentos carinhosos podem afetar a saúde, seja psicológica ou fisiologicamente - além de avaliar seus efeitos para uma relação saudável. Conheça alguns desses benefícios.

Mais satisfação no relacionamento


Um estudo experimental publicado no " Western Journal of Communication" em 2021 apontou que o abraço prolongado entre pessoas casadas aumentou sua satisfação pelo relacionamento.

O estudo comparou mais dois comportamentos em um grupo de 80 adultos: o aumento de tempo em conjunto e a relação igual, sem alteração de comportamento. Em quatro semanas de análise, os indivíduos que se abraçaram por mais tempo foram os únicos a reportar um efeito positivo em suas relações.

Entre as conclusões do estudo, foi avaliado que "o aumento no toque carinhoso pelo abraçar e beijar entre esposos causou melhorias na satisfação". As descobertas dos efeitos do abraço podem ajudar em terapias de casal e também oferecer informações teóricas, clínicas e práticas sobre como melhorar os relacionamentos.

Maior foco no parceiro

No mesmo estudo citado anteriormente, percebeu-se um aumento de foco no parceiro. Os participantes relataram que após o aumento no contato e carinho entre o casal, a busca e percepção de "opções" fora do relacionamento diminuiu, fazendo com que se tornassem mais "contentes" com seu relacionamento.

Ao aumentar o tempo de abraço, o foco da relação se voltou ao parceiro, diminuindo questionamentos como "será que existem opções melhores" ou "será que é melhor ficar solteiro" entre os participantes.

Abraços longos aumentam a oxitocina


Não é novidade que o toque, carinho e afeição são elementos valiosos no aumento da oxitocina, o "hormônio da felicidade".

Com mais abraços longos, várias sensações positivas atravessam o corpo, impulsionadas pela dose extra da substância. Por isso, é comum sentir-se amado ou confiar mais em seu parceiro após longos abraços.

Além disso, o ato de ficar abraçado após as relações sexuais é visto, nesse sentido, como um propulsor de intimidade. Os parceiros tendem a se aproximar e criar mais confiança.

Amor e ciência

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse