null: nullpx
pernas-Tasaudavel

Sintomas de trombose na perna: sensação de calor e mais 4 bem comuns

Publicado 8 Jun 2019 – 06:00 PM EDT | Atualizado 8 Jun 2019 – 06:00 PM EDT
Reações
Compartilhar

A trombose é uma condição silenciosa e grave, provocada pela formação de um coágulo em uma ou mais grandes veias das pernas ou das coxas que, ao bloquear o fluxo sanguíneo, pode causar desconfortos e, em alguns casos, até levar à morte.

Trombose: o que é

Provocada por formação de coágulos que atrapalham a passagem do sangue pelo corpo, a trombose causa obstrução de uma ou mais veias ou artérias profundas e, além de dores e desconfortos, pode provocar amputações de membros, embolia pulmonar e ser fatal em alguns casos.

Trombose Arterial

As tromboses arteriais costumam ser decorrentes de problemas graves de circulação, principalmente nas pernas, doenças ateroscleróticas avançadas ou diabetes. De acordo com a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, do Hospital Israelita Albert Einstein, dependendo da parte do corpo afetada, pode provocar derrame, infarto e até mesmo amputações.

Trombose Venosa Profunda

Considerada o tipo mais grave, a trombose venosa profunda (TVP) é a inflamação decorrente do desenvolvimento de coágulos sanguíneos na parede de vasos das pernas e coxas. Quando o coágulo se desloca para o pulmão, acontece a embolia pulmonar, que é fatal em muitos casos.

Tromboflebite

A tromboflebite acomete pacientes que receberam medicamento pelas veias, que podem inflamar. Se não for tratada adequadamente, ela pode desencadear uma trombose venosa profunda.

Cérebro

No caso trombose venosa cerebral, os coágulos se formam dentro de veias cerebrais e as entopem, impedindo a correta circulação do sangue, que extravasa para o cérebro, explica Eli Faria, neurologista clínico do HCor.

Pulmão

O tromboembolismo pulmonar (ou embolia pulmonar) é causado pela obstrução das artérias dos pulmões por coágulos que, na maior parte das vezes, se formam nas veias profundas das pernas ou da pélvis e são liberados na circulação sanguínea.

A gravidade do quadro está relacionada com o tamanho do êmbolo: os maiores podem interromper completamente a circulação pulmonar e essa condição pode ser fatal. Os principais fatores de risco são imobilidade prolongada, cirurgias extensas, câncer, traumas, uso de anticoncepcionais, reposição hormonal, varizes, obesidade, tabagismo e insuficiência cardíaca.

Intestino

A trombose pode ainda ser provocada por doenças inflamatórias intestinais (DII), que nada mais é do que uma inflamação contínua da totalidade ou parte do trato digestivo. Colite ulcerativa e Doença de Crohn são os tipos mais comuns da condição.

Perna

A trombose nas pernas pode surgir quando uma pessoa passa muitas horas sentada, sem se movimentar, permanece muito tempo em repouso (após um processo cirúrgico, por exemplo) e devido ao uso de pílula anticoncepcional, já que alterações hormonais também são fatores de risco.

Trombose na perna: o que é

Permanecer sentado por longos períodos, como em viagens de avião, é um dos fatores de risco de trombose. Segundo Ei Faria, neurologista clínico do HCor (Hospital do Coração), quando a musculatura fica parada muito tempo, pode aumentar as chances de desenvolvimento de trombose venosa profunda.

Sintomas

Metade dos brasileiros que têm trombose não apresenta sintomas clássicos da doença. Como a condição nem sempre é fácil de ser diagnosticada, a prevenção se torna ainda mais importante. De acordo com informações do Ministério da Saúde, os principais sintomas de trombose na perna são:

  • Dor na perna
  • Vermelhidão ao longo da perna que aparece de repente
  • Inchaço no membro
  • Sensação de calor (aumento da temperatura) da perna
  • Rigidez da musculatura na região em que se formou o trombo

Como o incômodo nas pernas pode ser negligenciado, o recomendável é buscar atendimento médico urgente quando qualquer sintoma incomum nos membros inferiores for identificado.

Tratamento

Quando o paciente recebe o diagnóstico de trombose, deve começar a tomar anticoagulante para impedir que coágulos se soltem e sigam para o pulmão. O anticoagulante deve ser tomado de três a seis meses, mas se a pessoa tem antecedentes ou uma predisposição a ter trombose, pode precisar utilizar o medicamento para sempre, sem interrupção.

No caso da trombose venosa profunda distal, que acontece do joelho para baixo, o tratamento pode ser feito em casa. O paciente só vai precisar fazer repouso até o anticoagulante começar a fazer efeito e depois caminhar com a meia de compressão. A trombose proximal, em veias acima do joelho, as chances de embolia são maiores e o indicado é iniciar o tratamento no hospital.

A orientação de cirurgia para trombose é raríssima e acontece apenas quando há uma contraindicação de uso do coagulante. Trata-se de uma medida extrema, usada como tentativa de salvar a pessoa. Injetar trombolítico, medicação que tenta dissolver o trombo, também não é comum porque são grandes os riscos de sangramento.

O que você precisa saber sobre trombose

Reações
Compartilhar

Mais conteúdo de interesse