Estudo detecta perigo às crianças em alguns brinquedos amarelos, pretos e vermelhos

por | jan 29, 2018 | Saúde

Brinquedos de plástico podem ser perigosos para a saúde das crianças por conterem altas concentrações de elementos tóxicos. A descoberta foi feita por um estudo da Universidade britânica de Plymouth após a análise de mais de 200 objetos voltados aos pequenos. 

Materiais tóxicos em brinquedos 

O estudo, publicado no jornal científico Environmental Science and Technology, descobriu que brinquedos de plástico de segunda mão podem oferecer risco para a saúde de crianças por conterem materiais como antimônio, bário, bromo, cádmio, cromo, chumbo e selênio.

A pesquisa analisou mais de 200 objetos usados e provenientes de lares, abrigos e lojas de caridade no sudoeste da Inglaterra.

A escolha de objetos de segunda mão é justificada pelo fato de novos brinquedos já atenderem aos padrões da Diretiva do Conselho de Segurança Europeu que proíbe tais elementos, enquanto os antigos não. 

A exposição prolongada a esses elementos, que eram em sua maioria da cor amarela, vermelha ou preta, é prejudicial mesmo em quantidades baixas, podendo gerar distúrbios de comportamento, alterações genéticas, reações cutâneas, bronquiais e outras.

As miniaturas de carros, trens, blocos de construção, figuras e quebra-cabeças foram avaliadas individualmente por meio de um raio-x fluorescente.

No Brasil

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) exige que brinquedos comercializados no Brasil atendam a uma série de normas que vedam a presença de tóxicos ou quaisquer outros itens que possam oferecer risco às crianças. 

Apesar disso, um estudo de 2009 do Instituto de Pesquisas Energéticas Nucleares avaliou a presença de substâncias perigosas, como cádmio, chumbo, cromo, mercúrio, alumínio, cobre e tório, em brinquedos importados provenientes de países asiáticos.

Por esse motivo, o Inmetro recomenda que consumidores apenas comprem equipamentos em comércios legalmente estabelecidos e exijam selo de identificação ou selo de certificação dos produtos, os quais indicam que o padrão mínimo de segurança foi obedecido.

Produtos que podem ser tóxicos