null: nullpx
cólica menstrual-Tasaudavel

Cólica MUITO forte pode ser tratada com 4 tipos de remédio ou 5 cuidados naturais

Publicado 1 Mai 2019 – 03:00 PM EDT | Atualizado 1 Mai 2019 – 03:00 PM EDT
Compartilhar

As cólicas menstruais são bastante conhecidas entre as mulheres e tendem a tornar a menstruação um processo acompanhado por diferentes níveis de desconforto. Segundo dados da pesquisa Dismenorréia e Absenteísmo no Brasil (Disab), 65% das mulheres têm cólicas em cada menstruação.

De onde vem a cólica?

Longe de ser um fator emocional, como muitos homens querem acreditar, a cólica menstrual é provocada pela prostaglandina, uma substância existente em várias partes do corpo, inclusive dentro do útero. Quando a camada do útero descama, na forma de menstruação, libera prostaglandina que faz o órgão contrair para eliminar o sangue. Essa compressão comprime os nervos e os vasos que passam pelo músculo uterino e, por isso, a mulher sente dor.

Segundo a acupunturista Elba Lúcia Wanderley, membro do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, a dismenorreia – nome dado às cólicas menstruais – pode ser primaria ou secundária. A primaria é quando a causa é o aumento da prostaglandina pelo endométrio. Já a secundária é quando a dor é resultado de doenças no aparelho reprodutivo, como endometriose, miomas e tumores pélvicos.

Quando a cólica não é normal

A ginecologista e obstetra Naura Tonin Angonese explica que as dores durante a menstruação podem ocorrer de forma leve, sem atrapalhar o dia a dia da mulher. Porém, quando é algo persistente e há um aumento progressivo de intensidade a cada mês, é necessário investigar o quadro.

A cólica muito intensa não é normal e precisa ser investigada porque é um sintoma comum da endometrio se, que apresenta também outros sintomas como dor pélvica que torna acentuada no período pré-menstrual, dificuldades para urinar e algumas vezes mudança do hábito intestinal, com diarreia ou dor na evacuação.

Remédio para cólicas

Os remédios para cólica devem ser utilizados sob orientação do ginecologista ou do clínico geral. Normalmente são aconselhados, pelos ginecologistas, medicamentos que diminuem a síntese da prostaglandina, a substância química responsável pelas dores da menstruação, são eles:

  • Remédios anti-inflamatórios não esteroides: como Ibuprofeno, Feldene, Pontin ou Ponstan;
  • Remédios analgésicos: como Paracetamol ou Dipirona;
  • Remédios antiespasmódicos: Doralgina, Buscopan ou Atroveran;
  • Remédios anticoncepcionais.

Remédios naturais

Água quente

Tomar um banho quente, deixando a água cair na região do abdômen ajuda a aliviar a dor. O calor aumenta o fluxo de sangue na região pélvica, o que ajuda a relaxar os músculos. Se o banho não for uma opção, use uma bolsa térmica com água quente para aumentar a circulação de sangue na área e aliviar a dor.

Exercício físico

Com o incômodo da cólica, às vezes é difícil fazer atividade física. Contudo, 30 minutos de exercício físico vão estimular a produção de endorfina, que reduz a intensidade das dores porque ajuda a relaxar os músculos. A dica para evitar o problema é não abandonar os treinos durante o período pré-menstrual. Mulheres que se exercitam regularmente tendem a sofrer menos com as cólicas.

Chás

Além de serem quentinhos, os chás de gengibre e de canela tem propriedades que combatem o desconforto. O gengibre tem poder anti-inflamatório, enquanto a canela tem efeito analgésico. Hortelã e erva-cidreira também são opções calmantes.

Massagem

Outra maneira caseira eficaz de aliviar o incômodo é fazer massagens suaves na região. O movimento das mãos vai ajudar a relaxar os músculos e ativar a circulação sanguínea.

Acupuntura

A acupuntura é uma vertente da medicina conhecida por atuar no sistema nervoso central. Além de melhorar os sintomas álgico-inflamatórios agindo como analgésica, relaxante muscular e anti-inflamatória, a acupuntura para cólica menstrual também causa um bem estar geral da mulher, pois atua equilibrando seu emocional.

Endometriose

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse