null: nullpx
cisto-Tasaudavel

Cisto no ovário não é Síndrome do Ovário Policístico: médica diz quando doença surge

Publicado 2 Jul 2019 – 06:00 AM EDT | Atualizado 2 Jul 2019 – 06:00 AM EDT
Compartilhar

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é um distúrbio que atinge cada vez mais mulheres e está relacionado a diversos fatores, da obesidade à resistência ao hormônio insulina. A ocorrência de cistos nos ovários é apenas um de seus sintomas e, por si só, não caracteriza o diagnóstico.

O lembrete foi feito pela endocrinologista Ana C. Meirelles e pela ginecologista Anna Beatriz Herief em texto publicado no perfil Saúde Honesta no Instagram. Segundo elas, muitas mulheres recebem o diagnóstico de SOP, embora não apresentem todos os pré-requisitos da doença.

Quando a SOP aparece?

De acordo com as especialistas, a Síndrome dos Ovários Policísticos se caracteriza pela presença de cistos nos ovários associada a algum destes sintomas: irregularidades na menstruação (frequência anormal, sem ovulação, com sangramentos fora do período) e aumento da testosterona (aumento de pelos e de acne na pele).

O diagnóstico dos ovários policísticos deve ser realizado por meio de ultrassonografia, pois não é qualquer cisto que caracteriza a doença. Há critérios bem definidos para identificar um quadro de SOP.

Existem ainda outras causas que imitam os sintomas e podem ser confundidas com a SOP: distúrbios da tireoide, excesso de prolactina ou níveis elevados de cortisol no sangue estão entre elas.

Tratamento da SOP

As médicas estimam que a síndrome atinja entre 8% e 18% das mulheres, e alertam que a falta de tratamento aumenta os riscos de hipertensão arterial sistêmica, câncer de endométrio, insuficiência coronariana, entre outros efeitos colaterais. Segundo elas, o tratamento consiste basicamente reduzir o peso corporal, cortar carboidratos refinados da dieta e praticar atividade física regular e constante.

Sobre o uso de pílulas anticoncepcionais para amenizar os sintomas da SOP, as especialistas reforçam que "nenhum tratamento farmacológico isolado será eficaz na ausência da mudança de hábitos de vida, e deve-se valorizar (e muito) o tratamento multidisciplinar da doença, envolvendo endocrinologista, ginecologista, nutricionista e profissional de educação física".

Dúvidas sobre cistos nos ovários

Compartilhar

Mais conteúdo de interesse