null: nullpx
candidíase-Tasaudavel

Candidíase pode aparecer em homens, crianças e mulheres: diferenças e como tratar

Publicado 15 Jan 2019 – 04:00 AM EST | Atualizado 15 Jan 2019 – 04:00 AM EST
Reações
Compartilhar

Apesar de ser mais comum entre mulheres adultas e aparecer com mais frequência na região íntima, a candidíase é uma infecção que também pode surgir na boca e afetar homens e até bebês.

O problema aparece quando a Candida Albicans, fungo que naturalmente habita algumas áreas do corpo, como vagina, pênis e boca, passa a se proliferar descontroladamente. Entenda as diferenças e os tratamentos adequados para cada caso:

Candidíase em mulheres

Coceira na vagina, ardência ao fazer xixi, dores nas relações sexuais e corrimento esbranquiçado e coagulado são os sintomas mais comuns da candidíase em mulheres adultas.

Doenças que atacam o sistema imunológico, uso de roupas muito apertadas que deixam a região íntima abafada, permanecer muito tempo com o mesmo absorvente, fatores emocionais (como estresse, por exemplo) e até mesmo alimentação podem ser causas da candidíase em mulheres.

O combate à candidíase normalmente é realizado por meio de pomadas fungicidas indicadas por um médico e, caso a proliferação se apresente de maneira aguda, talvez seja necessário tomar comprimidos para combater o problema. Manter uma boa alimentação, consumir bastante água e manter hábitos de cuidado íntimo saudáveis também é fundamental.

Candidíase em homens

De acordo com o urologista Thiago Tambelli, do Hospital Samaritano de São Paulo, entre 14% e 18% dos homens podem apresentar colonização excessiva por candida na região genital e serem completamente assintomáticos.

Nos homens, a candidíase é caracterizada, basicamente, por uma Inflamação na glande (cabeça do pênis) e na pele que a recobre, chamada de prepúcio. Ela pode ser assintomática ou apresentar sinais como vermelhidão, coceira, ardência ao urinar, corrimento e edema na região.

O uso de pomadas e cremes antifúngicos ou antimicóticos recomendados por um médico é a forma mais comum de controlar o fungo causador da candidíase. A medicação prescrita pelo profissional também pode ser oral e uma das opções mais populares é fluconazol, de dose única, que impede a proliferação dos fungos e já apresenta sinais de melhoria em 24 horas.

Candidíase oral

Chamada popularmente de “sapinho”, a candidíase oral tem entre seus principais sintomas: ardência e queimação na boca, lesões na língua, mau hálito e aspecto esbranquiçado da língua e mucosa.

O problema pode atingir pessoas de qualquer idade ou sexo, mas é comum em bebês e crianças, idosos e pacientes com doenças que abalam a imunidade.

A candidíase na boca é eliminada sem complicações na maioria dos casos e o tratamento é realizado por meio de gargarejos com medicamentos antifúngicos e adoção de medidas para fortalecer o sistema imunológico.

Candidíase em crianças

A cândida é um fungo que gosta de lugar escuro, úmido e abafado. O bumbum e a boca do bebê são exatamente assim. Então eles podem ter uma assadura contaminada pelo fungo, explica a pediatra Luciana Herrero, do grupo Aninhare, de Ribeirão Preto.

Ocasionada geralmente pela baixa imunidade, quadro que permite a proliferação do fungo, a candidíase no bebê pode aparecer tanto em meninas como em meninos.

Na boca, a inflamação é favorecida pelos bicos das chupetas e das mamadeiras. Ela aparece como uma placa branca na língua e no céu da boca. Já no bumbum ou na região genital, ela se manifesta em forma de assadura, como uma inflamação na pele.

Quando a candidíase afeta o bumbum do bebê, o pediatra normalmente receita uma pomada antifúngica para a região. E é muito importante que o diagnóstico seja feito o quanto antes, para que a assadura não cause grande desconforto ao pequeno.

Já nos quadros de candidíase oral na criança, o médico indicará remédio para tratar tanto a boca do bebê quanto o seio da mãe para que um não contamine o outro com o fungo durante a amamentação.

Candidíase: cuidados e tratamentos

Reações
Compartilhar

Mais conteúdo de interesse