Saúde do homem

por | jun 30, 2016 | Alimentação

Muitos homens costumam postergar ao máximo a ida ao urologista, mas a partir dos 45 anos algumas preocupações antes inexistentes começam a surgir e uma avaliação de rotina passa a ser necessária pelo menos uma vez ao ano. “Nessa faixa etária, os principais problemas que atingem a população masculina são distúrbios hormonais, sexuais e miccionais”, explica o médico urologista Dr. Camilo Loprete, do Hospital e Maternidade São Luiz.

O papel da mulher pode ser importante nessa fase para auxiliar o parceiro a ter os mesmos cuidados e preocupações que ela para deixar a vida sexual mais saudável e ativa. Procure conversar com ele a respeito das doenças que podem surgir, dos distúrbios sexuais e dos possíveis problemas e dificuldades que o casal pode ter se o parceiro não se cuidar fazendo os devidos exames anuais solicitados pelo urologista.

De acordo com o especialista, os distúrbios hormonais, erroneamente chamados de andropausa, são denominados pela sigla DAEM (Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino). Com a queda nos níveis do principal hormônio masculino, a testosterona, surgem os mais diversos sintomas como depressão, insônia, fadiga, irritabilidade, diminuição da atividade intelectual (concentração), aumento da gordura abdominal, redução da massa muscular e óssea. Por isso a consulta com um urologista é fundamental para a saúde do homem e também para a vida sexual dele com sua parceira.

Disfunções sexuais também são um dos motivos que mais preocupam nessa fase da vida. “Os problemas mais comuns são decorrentes da diminuição da libido, associada ou não à falta de ereção. Esses sintomas costumam ser causados por problemas hormonais ou doenças metabólicas, mas podem também ser consequência de efeitos colaterais de medicações, por isso é preciso investigar”, ressalta Dr. Camilo Loprete.

“Já os distúrbios miccionais ocorrem por conta do crescimento da próstata, que pressiona o canal da uretra causando dificuldade progressiva de esvaziamento da bexiga”, esclarece o urologista. Apesar desse ser um sintoma natural do envelhecimento, é necessário ficar atento aos sinais para prevenir o câncer prostático. “O exame clínico de rotina é o método mais eficiente de diagnosticar previamente esse tipo de câncer, aumentando as chances de cura”, finaliza Camilo Loprete.